sábado, 24 de abril de 2010

Pastor da Anatólia


Pastor da Anatólia
(outros nomes: Coban Köpegi, Anatolian Shepherd Dog)
História
O Cão Pastor da Anatólia (também designado Karabash da Anatólia), surgiu entre os anos 2.800 a 1.800 a.C., nas regiões rurais da Turquia e Ásia Menor.
A descendência deste cão é incerta, sendo por vezes atribuída a alguns cães de guarda usados na Mesopotâmia. Ao longo da história, foi responsável por diversas tarefas: não só auxiliou o homem na guerra e na caça grossa, como também desempenhou um papel central na defesa dos rebanhos.
Nesta última, revelaram ser cães robustos, capazes de percorrer as longas planícies da Anatólia e enfrentar com sucesso o confronto com predadores ferozes. Por serem cães muito resistentes e versáteis, conseguiram adaptar-se a condições climatéricas extremas (tais como Verões quentes e muito secos e Inverno rigorosos) e a distintos estilos de vida dos povos (desde gregários a nómadas).
Em 1968, estes cães começaram a ser importados para os EUA, apesar de só a partir dos anos 70 ter sido implementado um efectivo programa de criação. Neste país, o Pastor da Anatólia é utilizado como cão de guarda de aves e gado e como animal de companhia. Só em 1990 o Pastor da Anatólia foi reconhecido.

Temperamento
O cão Pastor da Anatólia é exemplar no serviço que presta ao homem: leal e protector da família, é um animal estável, sério e pouco agressivo.
Dada a sua natureza independente, este animal pode por vezes não responder rapidamente às ordens do seu dono. Tal deve-se ao facto, de ter sido sempre um cão habituado a agir sozinho em prol da segurança dos outros animais.
Este cão de linhagem antiga, tem preferência por espaços amplos e não simpatiza muito com a vida na cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário